segunda-feira, 4 de maio de 2009

Cantiga para não morrer - Ferreira Gullar

(Sorayama)

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

(Sorayama)

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.

7 comentários:

MentesSueltas disse...

Hola hermosa, paso a saludarte luego de un tiempo sin pasar.
Siempre es un placer leerte.

te abrazo
MentesSueltas

Francisco Sobreira disse...

Muito bom esse poema de Gullar. E muito bom, também, Inês, você divulgar os nossos grandes poetas. Um abraço.

BAR DO BARDO disse...

Amo esse poema e já lhe fiz um canto paralelo.

rodri disse...

leve el olvido y el recordarc que recorren tus versos.
MIL BESOS

Ines Motta disse...

Gracias Mentes!
La reciprocidad es verdadera!
Un saludo desde el lejano Brasil

Ines Motta disse...

Obrigada, Francisco.
Fui criada em meio à poesia. Não saberia não divulgá-la.
Um abraço.

Ines Motta disse...

Gracias, Rodri.
Es un placer verlo acá en mi sitio.
Un abrazo.